quinta-feira, 14 de julho de 2016

1º Workshop "Motivação e Competência" do Instituto de dança Priscila Ferraz em parceria com Christiane Penha do CH PENHA Projetos Educacionais.

O 1º Workshop sobre "Motivação e Competência" foi realizado na sede do IDPF no dia 13 de Julho, numa parceria entre a diretora do Instituto de Dança Priscila Ferraz e diretora do CH Penha Projetos Educacionais psicóloga/pedagoga Christiane Penha, que dinamizou a programação com foco na psicologia cognitivo-comportamental da dança voltada para os bailarinos do Instituto classificados para apresentações no Festival de dança de Joinville.
O desenvolvimento do programa alinhou-se com o mesmo método utilizado para atletas de diferentes modalidades esportivas, que participam de grandes eventos de repercussão nacional. O CH Penha possui um projeto chamado “Campeões no Divã” que visa demonstrar como a Psicologia pode melhorar o desempenho de atletas no sentido de desenvolver técnicas para alívio da ansiedade e melhoria no processo de motivação.
Trabalhamos juntos diversas atividades sobre motivação, dentre elas o conceito, a aplicação, motivação externa e interna. No encerramento, todos os participantes receberam seus certificados de participação das mãos da diretora do IPDF Priscila Ferraz e de Christiane Penha, pela nobre aprovação dos bailarinos no Festival de Dança de Joinville 2016, nas modalidades mostra competitiva e Palco aberto. Nesse contexto importantíssimo, os coreógrafos também foram contemplados.
Lista dos bailarinos, coreógrafos e coreografias aprovados para JOINVILLE 2016.
APROVAÇÃO PARA OS PALCOS ABERTOS - Conjunto de Dança Contemporânea Sênior: Coreografia: Estereótipos. Coreógrafa: Priscila Ferraz. Elenco: BEATRIZ DA ROCHA SALES -BIANCA CRISTINA MUNIZ DE SOUZA PAIVA -CAIO BASTOS DE SOUZA -CARLOS AFONSO -CAMILA ARAÚJO FERNANDES -CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS -CINTIA CRISTINE -DANIELLA DE OLIVEIRA JESUS -DANIEL DE OLIVEIRA JESUS -GABRIELE FERNANDES -GABRIEL MATHEUS -ISABELA MACHADO -JULIA FERNANDES -KARLA KRISTINA DE OLIVEIRA SANTOS -LOHANA JUDICE DE LIMA -MARIA JÚLIA CARDOSO ´-MELISSA MUZILLO -NATALIA SANTOS MOTA EMYDIO -REBECA LUIZA -TALITA DE SOUZA -THALES WHELLINGTON -THAINÁ JUDICE DE LIMA. Conjunto de Danças Populares Sênior - Coreografia: O Casamento. Coreógrafa: Priscila Ferraz. Elenco: -BEATRIZ DA ROCHA SALES -BIANCA CRISTINA MUNIZ DE SOUZA PAIVA -CAIO BASTOS DE SOUZA -CAMILA ARAÚJO FERNANDES -CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS -CINTIA CRISTINE -DANIEL DE OLIVEIRA JESUS -DANIELLA DE OLIVEIRA JESUS -GABRIELE FERNANDES -ISABELA MACHADO -JULIA FERNANDES -KARLA KRISTINA DE OLIVEIRA SANTOS -LOHANA JUDICE DE LIMA -MELISSA MUZILLO -NATALIA SANTOS MOTA EMYDIO -THAINÁ JUDICE DE LIMA. -Conjunto de Danças Urbanas Sênior. -Coreografia: The Last Rock. Coreógrafa: Thaiane Stallone. Elenco: BEATRIZ DA ROCHA SALES -BIANCA CRISTINA MUNIZ DE SOUZA PAIVA -CAIO BASTOS DE SOUZA -CAMILA ARAÚJO FERNANDES -CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS -CINTIA CRISTINE -DANIEL DE OLIVEIRA JESUS -GABRIELE FERNANDES -ISABELA MACHADO -JULIA FERNANDES -KARLA KRISTINA DE OLIVEIRA SANTOS -LOHANA JUDICE DE LIMA -NATALIA SANTOS MOTA EMYDIO -THAINÁ JUDICE DE LIMA. Solo de Jazz Masculino Sênior. Coreografia: No Ritmo do Meu Mundo. Coreógrafo e Solista: DANIEL OLIVEIRA. Solo de Jazz Feminino Sênior. Coreografia: Libertai. Coreógrafo: Daniel Oliveira. Solista: KARLA KRISTINA. Solo de Jazz Feminino Infantil – APROVADO PARA OS PALCOS ABERTOS Coreografia: A História de uma Gata Coreógrafa: Priscila Ferraz Solista: JÚLIA MARIA Conjunto de Danças Populares Infantil. Coreografia: Indígenas. Coreógrafa: Priscila Ferraz. Elenco: DANIELLA DE OLIVEIRA JESUS -GABRIELLI CUNHA DE OLIVEIRA -JEANE MARIA COSTA SILVA CARNEIRO PENHA -JÚLIA MARIA COSTA SILVA CARNEIRO PENHA -MARIA EDUARDA ALVES DA SILVA RAMOS -MARIA EDUARDA LEAL CASEIRO -MELLISSA MONTEIRO MUZZILLO ARRUDA -THACYANA MOREIRA DE MELLO DUARTE. Conjunto de Danças Urbanas Infantil. Coreografia: Pra ser Feliz. Coreógrafa: Thaiane Stallone. Elenco: CLARA SOARES DO NASCIMENTO -DANIELLA DE OLIVEIRA JESUS -GABRIELLI CUNHA DE OLIVEIRA -ISABELA LOPES -JEANE MARIA COSTA SILVA CARNEIRO PENHA -JÚLIA MARIA COSTA SILVA CARNEIRO PENHA -MARIANA CORRÊA -MELLISSA MONTEIRO MUZZILLO ARRUDA -THACYANA MOREIRA DE MELLO DUARTE. APROVADO PARA MOSTRA COMPETITIVA - Solo de Dança Contemporânea Sênior. Coreografia: Em Caos. Coreógrafos: Daniel Oliveira, Priscila Ferraz e Maicon de Queiroz. Solista: CAIO BASTOS. Solo de Danças Urbanas Masculino Júnior. Coreografia: Renegado. Coreógrafo e Solista: EMANUEL ALMEIDA. PARABÉNS A TODOS!

domingo, 10 de julho de 2016

Instituto Filgueiras: Festa Julina nota 1000!

A grande festa julina do Instituto Filgueiras foi ontém! Linda e repleta de calor humano compartilhada por alunos, pais, responsáveis e professores. Juntos familiares e amigos se divertiram a valer com show de danças dos alunos que foram coreografados por seus professores, e também por eles mesmos, demonstrando que Nilópolis é sim a terra da dança, do esporte e de gente trabalhadora que se dedicam com amor a construção de um estado e de uma nação melhor para todos. Se você não veio, programe-se e venha no ano que vem. Faça melhor! Fique ligado em nosso site http://www.colegiofilgueiras.com.br/ e saiba quando estaremos festejando outras datas. Aqui estudar tem o significado maior de construir saberes dividindo alegria.
Recebemos em nossa festa julina com muita honra, as apresentações de duas escolas de dança de Nilópolis, premiadíssimas. Trata-se do Studio de danças Valeria Brito e do Instituto de Dança Priscila Ferraz. O Instituto Filgueiras compartilha com essas escolas o orgulho de ter bailarinas que estudam lá e aqui, compartilhando saberes e aprimorando outros conhecimentos trazidos de seus lares. Parabenizamos individualmente Jandara - Studio de danças Valeria Brito(Ensino Médio), Júlia Penha - Instituto de Dança Priscila Ferraz (6º ano) e Jeane Penha - Instituto de Dança Priscila Ferraz (5º ano). Destaca-se que nossas alunas bailarinas estão embarcando para participarem do festival de dança de Joinville, considerado pelo guinness book o maior festival de dança do mundo. GALERIA DE FOTOS DA FESTA JULINA DO IBSTITUTO FILGUEIRAS 2016.
VENHA NOS CONHECER!

sábado, 25 de junho de 2016

V Congresso Internacional Líderes e Reitores Latino Americanos “Congreso Liderazgo Educativo 3.0”

Prezado Educad@r: O Instituto de Pesquisas e Administração da Educação, objetivando colaborar com as instituições educacionais brasileiras, criou recentemente um setor voltado para a Cooperação Internacional. Dentre os serviços envolvidos nesse segmento há a sugestão de participação de dirigentes e demais profissionais que atuam nas universidades, centros universitários e faculdades em congressos que possibilitam a difusão dos trabalhos feitos pelas entidades brasileiras e bem assim a promoção de intercâmbio e outros negócios que possam gerar resultados sociais e financeiros para as mantenedoras. Na expectativa que a sugestão seja benéfica, firmamo-nos, cordialmente. João Roberto Moreira Alves (Presidente). Data do evento: 9 a 11 de julho de 2016. Fort Lauderlate – Flórida – USA (45 km do Aeroporto de Miami). APRESENTAÇÃO: Pelo quinto ano consecutivo o Colegio Abraham S. Fischler de Educación de Nova Southeastern University (uma das mais bem referenciadas universidades americanas) celebra um marco de grande relevância para reunir os reitores, líderes e pessoas interessadas nas tendências e desenvolvimento da educação: o Congresso Internacional “Congreso Liderazgo Educativo 3.0” Dentro de sua linha de cooperação internacional o Instituto de Pesquisas e Administração da Educação está divulgando o evento e colaborando para que possa existir a projeção de universidades, centros universitários, faculdades e demais instituições brasileiras no cenário mundial. A programação mostra a grande diversidade e modernidade de temas. A língua oficial será o espanhol, o que facilita a compreensão para todos os brasileiros. Ao término será feita uma visita à Universidade que organiza o evento. PROGRAMA CIENTíFICO: - Las mejores universidades del mundo. ¿Como validan su posición? - Las 15 mejores app para la enseñanza y el aprendizaje - Dos nuevas tendencias en la educación: Curación de contenido y Microlearning - Hacia una educación virtual sin distancia. ¿Qué hacer para convertir la distancia en una oportunidad de desarrollo de los estudiantes? - ¿Quién decide el aprendizaje, la tecnología o la metodología? Las mejores prácticas “hablan”icas“h ablan” - Las bibliotecas “on line” del futuro. Una visita a la biblioteca NSU - IZone o la Zona de innovación educativa de NSU - Tendencias curriculares de la educación superior: Un caso de estudio. ORGANIZAÇÃO: Nova Southeastern University. HOTEL SEDE - Renaissance Plantation Hotel: http://www.renaissanceplantation.com - INFORMAÇÕES GERAIS: http://education.nova.edu/summer/congreso-rectores.html INFORMAÇÕES ESPECIFICAS: http://education.nova.edu/summer/pdf/Boletín%20Informativo%203.pdf - CONTATO COLABORATIVO NO BRASIL: Instituto de Pesquisas e Administração da Educação: instituto@ipae.com.br - (21) 3905-0964 – 3471-6301. CONTATO NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA: Dr. Francisco Vital. fvital@nova.edu - +1.305.275.2634 - www.ipae.com.br

V Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa!

Depois de dois anos estaremos nos reencontrando no V Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa! É um ano de celebração, pois chegamos ao nosso quinto encontro com avanços consideráveis nas pesquisas nesta área. Percebemos que nossa área está cunhada, definitivamente, no campo dos Estudos da Tradução. Ao olharmos para trás, percebemos o quanto avançamos e consolidamos os estudos e com base no presente, vemos um futuro ainda mais rico. Neste ano, o tema do evento está relacionado com os diferentes aspectos que atravessam a tradução e a interpretação. São aspectos intermodais, interlinguísticos, interculturais e intersemióticos. Neste ano ainda, teremos o I Congresso Nacional de Pesquisas em Linguística e Línguas de Sinais. Vimos que a Linguística também tem avançado muito nos estudos sobre a Libras e outras línguas de sinais no país. Os dois eventos acontecerão na mesma semana, assim todos terão a oportunidade de optar em vir a Florianópolis para ter participar dos dois eventos que são relevantes nos estudos das línguas de sinais. O tema do primeiro congresso de linguística e línguas de sinais envolve as bases linguísticas da Libras. Estamos constituindo o Corpus Nacional de Libras e consideramos que este evento irá coroar esses primeiros passos e fortalecer os estudos das línguas de sinais no país. Estamos preparando dois eventos muito especiais neste ano. Informações em http://www.congressotils.com.br/

Estação das Letras.

Introdução aos Gêneros Literários: Identificar os procedimentos técnicos que caracterizam cada um dos gêneros literários: prosa, poesia, romance, conto e crônica. Desenvolver o estudo e a criação de textos a partir da leitura de diversas modalidades textuais. Prof.ª Suzana Vargas - De 04 a 07/07 das 19h às 21h | Carga horária: 8h. Lancei meu livro. E agora? – Como conquistar a rede e a mídia: Sabemos que a publicação de um livro é apenas o primeiro passo de uma longa e difícil jornada. Agora, com o livro publicado, precisamos fazer fãs nas redes sociais e conquistar a mídia. Este curso pretende mostrar aos escritores iniciantes como multiplicar a visibilidade do seu livro. Prof. Marcelo Costa - Dias 04, 06, 07 e 08/07 das 18h às 21h | Carga horária: 12h. A Literatura e Os Grandes Temas da Cultura Contemporânea: Os grandes temas da literatura assim como abordados pelos autores mais representativos da contemporaneidade. Este curso irá abordar a ciência, a saúde, a razão e a loucura, o corpo e suas relações de poder, a identidade e outros temas que atravessam a produção de autores e pensadores do nosso tempo. A intertextualidade entre pensadores e poetas será explorada em sala, oferecendo-se uma síntese em exercícios e análises textuais. Prof. Gonçalo M. Tavares - Dias 08 e 09/07 das 11h às 17h | Carga horária: 10h. Formação de Revisores e Copidesques: O curso tem o objetivo de formar profissionais habilitados a trabalhar na área de editoração como editores de texto, copidesques e revisores de provas. Aulas com diversos exercícios. Prof. Alvanísio Damasceno - Dias 09 e 16/07 (sábados) das 13h30 às 19h | Carga horária: 10h. Novos Autores e o Mercado Editorial: Neste curso, serão apresentados aspectos do mercado editorial com foco nos novos autores, abordando os tipos de publicação, os gêneros literários, a importância do marketing, as diversas editoras, a distribuição e apresentação de um livro de estreia, os prêmios literários, os modelos de contrato, além de tratar brevemente de aspectos da estrutura do romance. Prof. Raphael Montes - Dias 11 e 13/07 das 18h às 21h | Carga horária: 6h. Mergulho na Escrita: Desbloqueio da espontaneidade e criatividade por meio de exercícios de desenvolvimento da escrita. Leitura de textos com os quais os alunos irão trabalhar utilizando técnicas diversas como jogos verbais, enumeração, escrita automática e mapa de ideias. Prof.ª Silvia Carvão: De 11 a 15/07 das 10h às 12h | Carga horária: 10h. Poesia e Filosofia: Três encontros sobre Poesia e Filosofia com um grande mestre que irá pensar os distintos papéis que estas formas de pensamento e criação assumem no terreno artístico e conceitual. Quem são o poeta e o filósofo? Como apreendem o mundo e de que forma essa apreensão se manifesta? Que limites ilimitados existem entre um e outro modo de estudar a realidade? Onde se encontram, onde se separam, onde se complementam? Prof. Antonio Cícero: Dias 11, 12 e 13/07 das 19h às 21h | Carga horária: 6h. Oficina de Haikai: As aulas de Haikai são uma experiência única para quem já fez – Alice convence a gente que no fundo de cada um existe um poeta louco pra despertar, e descobrimos surpresos que sim, é possível. Prof.ª Alice Ruiz: Dias 14, 15 e 16/07 (5ª e 6a feira das 18h às 21h e sábado das 10h às 13h) | Carga horária: 9h. Nosso endereço: Estação das Letras - Rua Marquês de Abrantes, 177 - Lojas 107/108 :: Flamengo. Rio De Janeiro, RJ 22230-060. Telefone: (21) 3237-3947. http://estacaodasletras.com.br/

quinta-feira, 23 de junho de 2016

CEFIT: Pós Graduação Internacional em Treinamento Desportivo.

INFORMAÇÕES GERAIS: este formato de curso (Intensivo) de Pós-Graduação Lato Sensu, com atividades em apenas 3 períodos quinzenais, possibilita ao pós-graduando acompanhar as aulas de forma concentrada e ininterrupta, facilitando também a participação de alunos que residem fora da capital de SP, além de viabilizar a vinda de palestrantes internacionais, com reconhecido nível científico e técnico, dentro do esporte mundial. Local: unidade UNIP / Universidade Paulista, na Vergueiro, 1211 - Paraíso - São Paulo/ SP (próximo à Estação Paraíso do metrô). Dias e horários: 04 a 08; e 11 a 17 de Julho 2016 / 16 a 21; 23-24 e 26 a 29 de Janeiro 2017 / 03 a 08; e 10 a 15 de Julho 2017 - aulas durante a semana: 13h às 23h; final de semana: 08h às 18h. Carga horária: 360 horas-aula. Público alvo: Graduados em Educação Física, Esportes, Fisioterapia, Nutrição, Medicina e Biomedicina, além de profissionais de outras áreas, que queiram aperfeiçoar seus conhecimentos sobre Treinamento Desportivo. Inscrições pelo site: www.cefit.esp.br/treinamento-desportivo. Esse curso é diferenciado pelo fato de ser internacional, com professores de fora do Brasil direto para o CEFIT. Avalie alguns detalhes através do vídeo no link www.facebook.com/treinamento-desportivo . OORDENADOR CIENTÍFICO: Antônio Carlos Gomes - Doutor em Treinamento Desportivo pela Universidade de Cultura Física da Rússia; Consultor do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da Academia Brasileira de Treinadores (ABT-COB); Superintendente de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt); Foi Coordenador Técnico do Curso de "Treinamento Desportivo" e Docente convidado dos Cursos de Pós-Graduação em "Fisiologia do Exercício" e de "Treinamento Personalizado" do CEFE, na UNIFESP-EPM; Diretor técnico do Clube Atlético Paranaense (2000/2008); Consultor Científico do Departamento de Futebol Profissional do Sport Clube Corinthians Paulista (2010-2011); Consultor de várias Confederações de modalidades, de Clubes no Brasil e no Exterior, e de diversos atletas de elite. COORDENADOR ACADÊMICO Fernando Carmelo Torres - Médico Esportivo (SBMEE-AMB) do Laboratório de Ciências do Esporte, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), do Departamento de Fisiologia (Setor de Fisiologia do Exercício) da Universidade Federal de São Paulo-Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM); Docente da Academia Brasileira de Treinadores do Comitê Olímpico Brasileiro (ABT-COB); Foi Supervisor Geral de Ensino e Docente do Centro de Estudos de Fisiologia do Exercício (CEFE), na UNIFESP-EPM; Coordenador de diversas turmas dos Cursos de "Treinamento Personalizado" e de "Fisiologia do Exercício", além de Docente do Curso de "Treinamento Desportivo" do CEFE, na UNIFESP-EPM; Membro Preceptor da Residência de Medicina Esportiva da UNIFESP-EPM; Coordenador de Medicina Esportiva/Avaliação Física e Supervisor Geral da Rede "Fórmula Academia" (1993/2008) e "Body Tech" (2008); Médico Fisiologista de vários atletas e equipes de elite. DOCENTES E PALESTRANTES CONVIDADOS: Abdallah Achour Jr. – UEL / ABT-COB; Antonio Carlos Gomes – CBAt / ABT-COB / CEFIT; Andrey Anatole Zakharov - Rússia; Tatiana Fomitchenco - Rússia; Dilmar Pinto Guedes - UNIMES; Fernando Torres – UNIFESP-EPM / ABT-COB / CEFIT; Clovis Franciscon - CBAt; Oscar Amauri Erichsen – CA Paranaense; Paulo R. Oliveira – UNICAMP; Sergio Gregório – UFPR; João P. Borin – UNICAMP; Edson Palomares - ABT-COB; Nélio Moura - CBAt; Emerson Ramirez - Univ. Vigo-Espanha / ABT-COB e outros palestrantes convidados. OBJETIVOS DO CURSO: Capacitar o profissional a aplicar os conceitos de Treinamento Desportivo em: Avaliação de Aptidão Física; Elaboração de programas de condicionamento físico, reabilitação e treinamento de alto rendimento; Formação de recursos humanos; e Desenvolvimento de projetos de pesquisa na área de Treinamento Desportivo. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Teoria do Treinamento Desportivo / Bases Fisiológicas, Nutricionais e Adaptações Morfo-Funcionais do Treinamento Desportivo / Treinamento Desportivo na Infância e Adolescência / Avaliação da Aptidão Física e Motora / Carga de Treinamento e Forma Desportiva / Treinamento e Aperfeiçoamento das Capacidades Físicas / Organização e Periodização do Treinamento Desportivo / Biomecânica Desportiva / Tópicos Especiais em Treinamento Desportivo / Metodologia da Pesquisa Científica: Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), a ser entregue na forma de monografia, sobre assunto pertinente ao curso. Observações Este curso de pós-graduação Lato Sensu tem reconhecimento pelo MEC (Universidade Paulista - UNIP). Documentos necessários para Matrícula: 1. Curriculum Vitae; 2. Uma foto 3x4 recente; 3. Cópias simples de: Diploma e Histórico Escolar de Graduação Superior (trazer originais de ambos, para conferência), CPF, RG, Certidão de Nascimento ou Casamento, Comprovante de Residência, Comprovante de pagamento da Inscrição. Entrega até o 1º dia de aula (de preferência, até 31/03, para otimizar o atendimento e agilizar procedimentos subsequentes), na unidade da Rua Vergueiro, 1211 – 12º andar (setor de atendimento ao aluno – Pós-graduação), campus Paraíso: segunda à sexta, das 08-21h; sábados, das 08-17h. Alunos do exterior: consultar documentação específica pelo e-mail contato@cefit.esp.br. Para obter a certificação do curso de pós-graduação lato sensu o aluno deve ter: Média final igual ou superior a 7,0 (sete) em cada módulo disciplinar, bem como no TCC (Trabalho de Conclusão de Curso); Frequência em, pelo menos, 75% das aulas; Documentação exigida entregue e em ordem. As VAGAS SÃO LIMITADAS, sendo preenchidas por ordem cronológica de confirmação de pagamento da taxa de inscrição. Fica reservada à coordenação geral a substituição de professores e locais de aulas por outros de igual qualificação, bem como a alteração de datas, caso haja necessidade. Não haverá reembolso de pagamentos feitos (taxas e/ou mensalidades), em caso de desistência do aluno. O curso poderá ser cancelado ou adiado, por falta de quórum mínimo de alunos matriculados, com pelo menos 48 horas de antecedência da data prevista para seu início. Na hipótese de cancelamento do curso por parte da organização, será devolvido 100% do valor de taxas pagas (Inscrição/Matrícula), por meio de depósito em conta bancária do inscrito. A organização do curso não se responsabiliza por quaisquer outros valores que eventualmente tenham sido despendidos pelo participante, seja a que título for, tais como passagens rodoviárias/aéreas, combustível, hospedagem etc. Fonte: Antonio Carlos Gomes. Contato com o blog via e-mail.

domingo, 19 de junho de 2016

Basile Estudo Orientado

Trabalhamos para motivar, estimular e ajudar os alunos a formarem e a desenvolverem métodos e rotinas de estudo. Basile Estudo Orientado - Aulas Particulares. Ajudamos você a encarar e a vencer os problemas e os desafios escolares. Aulas Particulares de todas as matérias do ensino fundamental até o superior. Redação, Vestibular, Vestibulinho Estudo Orientado, Preparação a Testes Orientação Profissional, Coaching Educacional e Psicopedagógico. Conte com nossos 19 anos de experiência. Excelentes professores. Agende uma entrevista sem compromisso para conhecer de perto nossos trabalhos e saber qual o mais adequado para você ou para seu filho (a). Esperamos você! att. Maria Tereza Gomes Basile - Psicopedagoga. Tel.: 3022-2263. 3022-2264. basileestudoorientado@gmail.com - http://www.basileestudoorientado.com.br, http://m.basileestudoorientado.com.br

quinta-feira, 9 de junho de 2016

UNIABEU OFERECE SUPORTE AO ALUNO NO CLICLO ACADÊMICO.

A Uniabeu segue a linha do aperfeiçoamento do atendimento focada à gestão acadêmica, visando garantir aos seus objetivos educacionais. Para que isso ocorra efetivamente, o Centro de Apoio Psicopedagógico (CAPSI) passa a atuar como Núcleo de Inclusão e Apoio ao Discente (NIADIS). O objetivo é conhecer as necessidades do aluno de forma geral e oferecer acompanhamento e orientação. “O CAPSI existe desde 2008 e, em 2014, passou a existir o Núcleo de Inclusão e agora, a partir do mês de abril, passamos a unir os dois segmentos ao NIADIS que engloba o apoio ao discente como um todo, seja esse aluno com ou sem deficiência”, explica a orientadora acadêmica Tatiana Oliveira. Segundo ela, o setor é referência de apoio para alunos que vivenciam dificuldades cognitivas ou de aprendizagem no decorrer da trajetória acadêmica. De acordo com a pedagoga e psicóloga Christiane Penha, a intenção é atuar como ponto de apoio aos alunos nas dificuldades cognitivas e de aprendizagem. “Queremos contribuir para que eles possam enfrentar as questões que venham a prejudicar e interferir no processo de desenvolvimento pessoal, acadêmico ou profissional”, explica. Com atuação desde abril, o NIADIS é um canal de acesso para o aluno da Uniabeu que oferece atendimento individual ou em grupo, para identificação dos possíveis obstáculos no desenvolvimento do processo de aprendizagem. “Promovemos o acolhimento e apoio estudante ingressante para uma adaptação satisfatória, realização de oficinas de promoção da aprendizagem, apoio aos estudantes que participam das lideranças universitárias, através de encontros semestrais”, comenta orientadora acadêmica Leila Tavares. “Esperamos que os alunos frequentem o NIADIS. É importante que eles saibam que podem contar com a nossa atuação nas dificuldades de aprendizagem, para o enfrentamento de questões que venham a prejudicá-los em algum momento da vida acadêmica”, afirma a orientadora Oliveira. Contato com o NIADIS: Campus 1 - Belford Roxo - Tel.: (21) 2104-0450 ramal 475. E-mail: niadis@uniabeu.edu.br. Campus 2 – Nilópolis; Tel.: (21) 3214-8200. Campus 6 - Nova Iguaçu; Tel.: (21) 3214-6100. Fonte: UNIABEU / Niadis 08 junho 2016.Facebook. Página http://www.uniabeu.edu.br/unidades.php?unidade=belford+roxo

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Hoje tem aula no Instituto de Dança Priscila Ferraz

Hoje tem aula no Instituto de Dança Priscila Ferraz nas unidades em Nilopolis, Guadalupe e Austin! O ano já começou, não fique para trás. Venha fazer aula com qualidade! Tels.: Nilopolis 2693-3388. Austin 2763-8759. Guadalupe 3107-2571. Acesse nosso blog em http://companhiapriscilaferrazdedanca.blogspot.com.br/

domingo, 14 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

SUPERVISÃO EM PSICOPEDAGOGIA

Por Sandra Dias Simplicio. Sumário: Supervisão em psicopedagogia : apontamentos iniciais sobre atencionalidade e escuta do professor. Palavra- Chave: Psicopedagogia- Diagnóstico- Professores- Aprendizagem - Psicanálise. RESUMO: O presente artigo pretende iniciar a discussão sobre a questão da sujeição, poder e resistência, através do estudo do cuidado de si como prática da liberdade. Para tanto, utilizamos o referencial o teórico Foucault(1983)para o estudos do modo de objetivação, aliado ao discurso pedagógico e Fernández( 2012) para localizar a prática de supervisão em psicopedagogia. This article aims to initiate discussion on the issue of subjection , power and endurance, through the study of self-care as a practice of freedom. To do so, we use the referential theoretical Foucault ( 1983) to the study of objectification in order , together with the pedagogical discourse and Fernández (2012 ) to find the teachers' supervision practice in psychology . INTRODUÇÃO: Intenso e repleto de tensões, o trabalho docente muitas vezes é amparado e constituído efetivamente numa relação de hierarquia, muitas vezes de sujeição sobre o outro. Aplicados por todo corpo social, onde a escola e seus diversos representantes legais, ditam regras sobre como deve ser o trabalho educativo, há uma incorporação dos resultados dessas práticas em nosso cotidiano.No entanto, o esquadrinhamento de corpos em tempo e espaço,problematizado em estudos foucaultianos, permite-nos perceber que há uma infinidade de práticas, ordenadas e contribuintes ao as sujeitamento de professores e alunos. Vistos quase como normalidade, este sistema é capaz de formular regras e transformar as praticas docentes em movimentos alienados, obtidos a partir de um modo particular de percepção e de engendramento de conhecimentos e aprendizagens. No contexto da carreira obsessiva e do domínio geral do discurso da eficiência, as escolas, através de mais ilustres reformadores inspirados no mundo da empresa, importaram seus princípios e normas de organização de forma extremada em ocasiões delirantes, mas sempre com notáveis conseqüências para a vida nas salas de aula (Enguita, 1989, p. 125). Ou seja, somente os professores são capazes de sentir na própria vivência da carreira, os resultados da organização e transformação de seu ideal em sofrimentos. Nos últimos anos, segundo pesquisas, algumas questões se adicionam às da organização do trabalho docente. Segundo Esteve (1999), têm aumentado as responsabilidades e exigências que se projetam sobre os educadores, coincidindo com um processo histórico de uma rápida transformação do contexto social, o qual tem sido traduzido em uma modificação do papel do professor. As transformações apontadas, segundo Esteve (1999, p.31), supõem um profundo e exigente desafio pessoal para os professores que se propõem a responder às novas expectativas projetadas sobre eles. E o autor, adverte sobre as desastrosas tensões e desorientações provocadas nos indivíduos quando estes se vêem obrigados a uma mudança excessiva em um período de tempo demasiadamente curto. Para o autor, o professor está sendo tirado de um meio cultural conhecido, em que se desenvolveu até então sua existência, e está sendo colocado em um meio completamente distinto do seu, sem esperança de voltar à antiga paisagem social de que se lembra. A pesquisa sobre a insatisfação dos professores no magistério tem aparecido cada vez mais nos últimos anos, tanto no Brasil como em outros contextos. Diversos estudos mencionam o perfil dos professores em relação à carreira docente, de modo a entender como estes reagem a diferentes situações no contexto do trabalho (Elvira & Cabrera, 2004; Carlotto, 2008; Reis, Araújo, Carvalho, Barbalho & Silva, 2006; Simplicio,2010). Ao mesmo tempo, investigações atuais revelam que os professores podem ser afetados, durante o desenvolvimento de suas ações docentes, por elevado estresse, ocasionando o que a literatura reconhece como Síndrome de Burnout. Definida e garantida por diversos procedimentos legais (leis, decretos, portarias) o exercício da docência, reproduz no corpo educado as marcas validadas por um sistema de saberes. Apoiada nos regimes de verdades e sublimação a redução sutil das transgressões, prevalecem a eficácia do sistema de trabalho. Mas para que isso aconteça, o docente desenvolve diversos mecanismos de resistência como meio de defesa e não percebe o quanto o mal estar afeta sua saúde, criatividade e a atuação profissional. Ao se tratar da eficácia de um sistema educacional, podemos encontrar diversos manuais pedagógicos que são vistos como verdadeiros roteiros do discurso da verdade sobre o que deve ser feito em qualquer área docente. No entanto, a dura realidade do cotidiano, ao longo dos anos, trará muitas vezes ao professor grandes conflitos, contradições e ambigüidades sobre a docência como satisfação e desinvestimento. E mesmo insatisfeitos, muitos professores, buscam constantemente a formação continuada. Eles querem saber mais sobre como captar recursos psíquicos para continuar ensinando os alunos. Ao iniciarem a formação em psicopedagogia, muitos professores revelam a angústia. Muitos usam esta palavra para nomear e confidenciar que gostariam, por exemplo, de melhorar a atuação com alunos especiais, salas numerosas, indisciplina, controle da violência e as dificuldades acadêmicas de alunos. Naturalmente, sabemos que algumas mudanças somente podem ser efetivadas com parcerias e políticas públicas capazes de progressivamente, amparar todos os sujeitos envolvidos no processo. Penso que sem fazer referência ao contexto trabalhista, institucional onde socialmente os professores realizam seu trabalho docente, é impossível resolver questões que são fundamentais ao sistema de organização. Mas voltando a questão da demanda de processo educativo, os professores possuem o desejo de resolver todos os problemas de suas turmas.Eles já sabem que trabalhar na escola, requer muita insistência e criatividade que se diluem as tecnologias do si no trabalho. Eles sabem que há contradições no mundo do trabalho, capazes de comprometer as ideologias, aspirações, materialidade e, principalmente a autonomia docente. Gerenciar o ensino submetido a um sistema de regras endurecidas e que, combinadas ao exercício da disciplina, supõe um dispositivo que obriga o jogo do olhar; um aparelho onde técnicas que permitem ver induzam a efeitos de poder, e onde, em troca, os meios de coerção tornem claramente visíveis aqueles sobre quem se aplicam. (. FOUCAULT, 2000). Durante os estudos de mestrado e motivada também por minha própria experiência de vinte e cinco anos de acúmulo de cargo como professora, busquei incessantemente, compreender o sofrimento e o bem estar na profissão. Não podemos deixar de fora da sala de aula tudo o que fomos e somos e sei que cada toma para si o processo de subjetivação de um modo particular. Paralelamente, vivenciando a formação na psicopedagogia e posteriormente na psicanálise, busco proporcionar a professores um espaço que possa legitimar o conteúdo interior e que vai além das estruturas de pensamento cognitivo. Há sujeitos imbricados em relações enquanto brincam. Evidentemente, há uma série de dinâmicas presentes em diversos manuais como também uma grande referência bibliográfica e diferentes estilos de ensino do diagnóstico. No entanto, o diagnóstico deve, entre outras coisas da ordem da sensibilização,ser capaz de trazer a tona as dificuldades que impedem o sujeito de exercitar seus pensamentos e emoções no espaço aprendente. Em muitas dinâmicas de trabalho com jogos, partimos de um pressuposto de educação corporal amparada na psicomotricidade como espaço de brincar em que a imagem do sujeito é revisitada com outros olhos. Questionados se o adulto pode brincar, muitas vezes nos deparamos com professores rígidos e desconfiados. Lacan articula sua teoria do simbólico ao Real, partindo do pressuposto que um corpo pode ser pensado e estudado também, a partir de três registros fundamentais: o imaginário, do simbólico e do Real. O professor, como qualquer pessoa, é marcado por registros corporais de imagens, marcações de significantes e de gozo no Real. O sujeito é condicionado por discursos, de acordo com o laço social que assume. O gozar interessa ao sujeito e a psicanálise apresenta um gozo com ênfase na vertente subjetiva. A área do Direito, por exemplo, enfatiza um gozo com características objetivas como por exemplo ter direitos a uma posição , um cargo, um título. O direito ao gozo consiste em fazer frutificar e recolher os frutos. Ou seja, se uma pessoa possui um cargo numa instituição, passará a gozar de direitos a partir da posse deste cargo e, deverá antecipadamente ter conhecimento e qualificação para o cargo. Para tanto, compreender a linguagem e as articulações citadas exigem experiência subjetiva e entendimento que um sujeito concebido pelo Direito é outro. Conhecer a si mesmo como sujeito do gozo não quer dizer que estaremos falando do gozo obtido através do orgasmo, mas sim do gozo obtido através da linguagem e da palavra. Conhecer a si mesmo é, sobretudo, uma construção, uma caminhada singular em que cada um experimenta seus próprios caminhos de aprender. Para um professor, essa é uma tarefa muitas vezes impossível se o mesmo não se permite arriscar fazer diferente. Para elucidar meus apontamentos iniciais, irei descrever a dinâmica de uma aula de diagnóstico que consistiu no uso de alguns brinquedos de montar e de equilíbrio. Ao oferecer diversos brinquedos durante as aulas, pude inicialmente constatar a leitura de regras sobre o objetivo do jogo, questionamentos sobre a função do mesmo para determinada idade e se seria possível aplicar o jogo. Posteriormente observei que algumas condutas foram reveladas: como o professor se via jogando, a harmonia com parceiros de jogo, a expressão de mitos e crenças produtoras de discursos de de subjetivação, a desatenção reativa e muitas outras observações presentes na questão da aprendizagem do professor e sua imagem. Pude observar que ao brincar- jogar, o professor pôde modificar progressivamente seu espaço de aprender e exercitar sua potência atencional da alegria( Fernández, 2012). Para a autora, um adulto que não brinca, desenvolve pensamentos contraditórios que se sustentam em modalidades de aprendizagem. Fernández questiona onde reside sua capacidade de pensar dos adultos. Os apontamentos iniciais desse trabalho confirmam que a construção de um espaço de subjetivação saudável deve ser inerente a formação da docência. A escola precisa abrir espaços de aprender a escutar. Brincar é um excelente caminho para isso e os espaços de formação docente devem abarcar toda a pessoa: sua afetividade, sua imaginação, suas fantasias, suas inibições, quer dizer, sua subjetividade(Fernández,2012) Para isso coloquemo-nos em ação com nossa potência criativa porque a identidade de cada um pode ser forjada pelo outro, mas num dado momento poderemos sim escolher sermos diferentes e não apenas aceitar o poder da docilização. Uma linguagem pode tomar o rumo que o sujeito quiser se este puder assumir-sena posição de sujeito pensante e cuidador de si mesmo. As sessões de psicopedagogia conduziram os professores em formação para um outro local: o local do sujeito aprendente de si. Estas sessões permitem ao professor em formação , deslocar as concepções cristalizadas para o centro das atenções.Não pensamos ser esta uma tarefa fácil mas a psicopedagogia, proporcionou –nos espaços para pensamentações e transformações do ato de pensar a si mesmo muito além do poder- saber. Não aprendemos a exercitar a escuta apenas imitando o ato de ouvir o outro, nem mesmo de falar apenas aprendendo a imitar a fala de alguém. Precisamos sentir em nosso íntimo o sujeito brincante. Somente assim, poderemos avançar posteriormente em ações de prevenção as nossas desatenções e aprisionamentos de sentidos para a necessária atencionalidade. O espaço de jogar pode servir de possibilidade para não somente pensarmos cognitivamente a criatividade, mas criar algo diferente com um jogo, diferente das regras e manuais de prescrição. Por que pensar é criar algo novo a partir daquilo que o outro nos dá( Fernández,2012). A título de exemplo, irei descrever parte de uma sessão, onde utilizamos quebra-cabeças em 3 D - dinossauros:“Solicitei a dezesseis professores que organizassem grupos para montagem de alguns dinossauros de edição de colecionador. No folheto em anexo havia uma descrição numerada para facilitar o trabalho de montagem. No entanto, não o fizemos da maneira tradicional. Simplesmente, deixei o livre desejo de formarem equipes e discutirem a melhor forma de montarem o dinossauro, observando o exercício de parceria. Pensar, discordar, resolver o conflito do dinossauro que não ficava fixo na coluna cervical, provocou nestes professores, uma forma de equilibrarem forças, pois não possuíam cola ou outro material para montarem o brinquedo com precisão. Houve aqui um espaço de criação, alimentada por aquilo que Winnicott chama de vínculo entre o viver criativo e viver propriamente dito. E o dinossauro tornou-se uma obra de arte de muitas mãos. Estes puderam, inevitavelmente rir, brincar e errar. Sim, eles erraram, ao colocar emas pernas invertidas em outra extremidade. E subitamente ele foi montado assim mesmo. Parece importante, referir- me aqui a uma dificuldade esperada que trata-seda tensão e o medo de não conseguir montar o dinossauro. Proponho-me agora a analisar o momento a partir do ângulo da transicionalidade. Winnicott apresentou em seu estudo psicanalítico três espaços psíquicos. O interno, o externo e o transicional, sendo o último uma zona intermediária, capaz de ir do narcisismo primário ao julgamento da realidade. Winnicott acredita que a liberdade de criação tanto na infância como na vida adulta pode ser vivenciada através de experiências do brincar. Para tanto, o professor precisa deixar de pensar que o ato de ensinar reside apenas no esvaziamento do sensível, na manutenção da ordem, na regularidade e principalmente na homogeneidade do ensino. É preciso compreender que há um saber, perfeitamente articulado, pelo qual, falando propriamente, nenhum sujeito é responsável( Lacan,1980) Há também um território de encantamento coletivo na relação humana. Ao formarem equipes, não esperavam os professores pelo inesperado. Havia uma condição estabelecida por mim: desfazer-se das regras absolutas. Foi preciso escutar o desejo do outro, experimentar opiniões, encontrar um saída para que as ações se mobilizassem de forma harmoniosa. Arriscar-se as provocações e aproximações do inesperado. Deixamos de lado o apropriado e experimentamos a delicadeza das formas de um dinossauro de 52 peças. E brincar pareceu-nos simples? Não !Está em jogo a função do potencial criativo do professor, o imaginário, o simbólico e o Real. CONCLUSÃO: Os professores não podem apenas ser interpretados como limitados em suas capacidades ou possibilidades reflexivas, como vítimas de contradições das quais devem ser libertados ou como se confundissem o ensino e sua trama com o que vivem entre quatro paredes de sua sala de aula(Contreras, 2010). A escola continua depositando na pessoa do professor o sujeito da certeza, capaz de unificar interesses e perspectivas. Há uma linha tênue entre compromisso social com a profissão, eficácia e normatização. Por outro lado, está em jogo a luta diária por uma vida mais justa e igualitária e muito mais participativa socialmente. O professor precisa também aprender a cuidar de si. A psicopedagogia pode proporcionar ao professor, um espaço de ressignificação de saberes e práticas, produzindo no sujeito sentidos de alegria de aprender a ser e fazer diferente, superar mais seus medos e contradições. Seria importante, também realizar estudos psicanalíticos para compreensão do sujeito da psicanálise. Como vimos ao longo deste breve artigo, perceber que um simples quebra-cabeças de dinossauros pôde contribuir imensamente com nossa posição de ensinante e de aprendente, revela o que Mrech(1999), aponta em sua obra de cunho lacaniano: “o imaginário confere uma aparência de ser ao sujeito. O sujeito adere a imagem apresentada. Toma-a como real” É preciso saber que o imaginário de cada um confere a aparência de ser ao sujeito, as imagens podem nos enganar, mas haverá cedo ou tarde sempre um encontro com o Real. É possível observar no sentido do diagnóstico, que jogo de quebra-cabeça possui vários objetivos como desenvolver a atenção, o pensamento lógico, as habilidades motoras e principalmente a observação, comparação análise e síntese. No entanto, o psicopedagogo, me parece muito interessante, principalmente que o mesmo vivencie em seu âmbito e estilo de trabalho o enquadre a serviço também no foco da palavra do professor, perceber o significado e o significante dado pelo sujeito as palavras. Não podemos evitar o sofrimento ou recalcá-lo apenas. Precisamos elaborar a escuta e trabalhar o sofrimento para que continuemos a enfrentar as vicissitudes da vida. Considero importante ressaltar a busca por capacitação e supervisão para uma efetiva proposta diagnóstica interventiva, buscando o estudo prático e teórico. A escolha e uso de brinquedos como citados neste artigo, fazem parte de meus estudos com brinquedoteca escolar da EMEI Sergio Cardoso, estilos de brincar na infância e aportes teóricos amparados na teoria de Winnicott e no suporte da psicanálise lacaniana. Bibliografia: REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS AJURIAGUERRA, J. de- Manual de psiquiatria infantil. Tradução de Paulo Cesar Geraldes e Sonia R. Pacheco Alves. Editora Masson. 1980 CONTRERAS, José- A autonomia dos professores- Editora Cortez,2002 EMEI SERGIO CARDOSO- PEA 2015- A criança sua linguagem ea cultura lúdica- SMESP FERNÁNDEZ, Alícia- A atenção aprisionada- Psicopedagogia da capacidade atencional- 2012- Artmed Editora . ENGUITA, M.F. (1989). A face oculta da escola. Educação e trabalho no capitalismo. Porto Alegre: Artes Médicas. ESTEVE, J. M. O Mal-Estar docente. Lisboa: Escher, Fim de Século, 1992. FOUCAULT. Vigiar e Punir- Editora Vozes, 1975 LACAN, Jacques. A relação do objeto, Rio de Janeiro : Jorge Zahar Editor, 1995 MRECH, L. M. Psicanálise e Educação , Pioneira Editora,1999 MRECH, L.M. . Frida Khalo- Mais além do próprio sofrimento- EBPSP 2015 WINNICOTT, D. W- O brincar e a realidade. Editora Imago 1985 SIMPLICIO, Sandra Dias - Estudo sobre a relação trabalho e saúde de professores da rede pública municipal de São Paulo- 2010 UNIFIEO- Dissertação de Mestradoem Psicologia Educacional Publicado em 01/12/2015 Currículo(s) do(s) autor(es): Sandra Dias Simplicio - (clique no nome para enviar um e-mail ao autor) - Professora titular de escola municipal de educação infantil na PMSP; Pedagoga; Psicomotricista; Psicopedagoga Clínica e Institucional; Mestre em Psicologia Educacional UNIFIEO Osasco São Paulo; Supervisor de Psicopedagogia. Acesso em http://www.psicopedagogia.com.br/

CURSO FORMAÇÃO DE PROFESSORES E LÍDERES PARA O MINISTÉRIO INFANTIL

"Instrui a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Pv 22:6) Objetivo do Curso: O Curso “CAPACITAÇÃO EM MINISTÉRIO INFANTIL” tem como principal objetivo capacitar pessoas que desejam aprimorar e desenvolver suas habilidades no Ministério Infantil da Igreja. Cada módulo foi organizado visando dar ao professor(a) uma visão clara da importância da sua atuação junto aos alunos. Não temos a pretensão de abranger todos os conteúdos detalhadamente e nem todas as diversas Teorias do Desenvolvimento Infantil, por isso, nos atemos apenas à Jean Piaget, que acreditamos já seja suficiente para oferecer alguns conhecimentos básicos e úteis para que o professor possa desenvolver o seu ministério com eficiência e eficácia. Esperamos que cada participante deste Curso dedique-se na leitura e nas tarefas propostas para que possa tirar o maior proveito. Além disso, esperamos também que este Curso desperte em cada participante o desejo de ampliar seus conhecimentos através de livros, palestras, cursos, seminários, etc. Todo crescimento educacional sempre será útil tanto na vida pessoal, profissional como na vida ministerial. Jamais pare de estudar! Para quem é o Curso? Evangélicos interessados no ensino cristão para crianças. Professores e superintendentes de Escola Bíblica Dominical Evangelistas de Crianças Educadores, Pastores, Lideres. Pais e Mães. Qualquer pessoa interessada no aprimoramento do Ensino com crianças. Conteúdo | 8 Módulos. 1- O Plano de Salvação. 2- Líder do Ministério Infantil. 3- Dídática nas Lições Bíblicas 4- Evangelismo de Crianças. 5- Planejando Aulas Criativas 6- Psicologia Infantil. 7- Diversos Olhares da Educação. 8- Pedagogia de Jesus ( O Mestre por Excelência). http://universidadedabiblia.net/formacao-de-professores-e-lideres-para-o-ministerio-infantil/?ref=J3654265A&hsrc=cXVhbGlzYXVkZXM%3D

Páginas